Avaliação da Alexitimia em Crianças Portuguesas com Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção
Assessment of Alexithymia in Portuguese Children with Attention Deficit Hyperactivity Disorder

Sara Teixeira - Autor Correspondente https://orcid.org/0000-0003-1519-826X
José Pedro Barbosa
Lara Lourenço
Daniel Gonçalves
Micaela Guardiano

Conteúdo do Artigo Principal

Resumo

INTRODUÇÃO: Diversos estudos têm demonstrado existir uma perturbação do processamento emocional em crian-ças com perturbação hiperatividade/ défice de atenção (PHDA). No entanto, existem poucos estudos relativos à as-sociação entre alexitimia e PHDA tanto em adultos como em crianças, e nenhum na população portuguesa.


MÉTODOS: A amostra acidental inclui 50 crianças previamente diagnosticadas com PHDA e sob tratamento e 51 crianças saudáveis sem PHDA, com idades compreendidas entre os 8 e os 17 anos. Com o intuito de avaliar a alexiti-mia foi aplicada a versão portuguesa do questionário de alexitimia para crianças.
RESULTADOS: Comparando os dois grupos, não se verificaram diferenças significativas em nenhum dos três fatores da escala de alexitimia: dificuldade em identificar sentimentos, dificuldade em descrever sentimentos e pensamento orientado externamente, assim como na pontuação total da escala.


DISCUSSÃO: No nosso estudo, crianças com PHDA sob intervenção farmacológica e psicoterapêutica apresentaram níveis de alexitimia sobreponíveis à população controlo.


CONCLUSÃO: O nosso estudo pretende reforçar a importância da avaliação do processamento emocional na PHDA e a sua relação com as intervenções terapêuticas realizadas, abrindo portas a que outras investigações se dediquem a este tema.

Palavras-chave: Criança; Emoções; Perturbação de Hiperatividade com Défice de Atenção; Sintomas Afetivos

Detalhes do Artigo

Como Citar
Teixeira, S., Barbosa, J., Lourenço, L., Gonçalves, D., & Guardiano, M. (2019). Avaliação da Alexitimia em Crianças Portuguesas com Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção. Gazeta Médica, 6(2). https://doi.org/10.29315/gm.v6i2.240
Secção
ARTIGO ORIGINAL