Proctite Infeciosa: Valorizar o Diagnóstico Diferencial
Infectious Proctitis: The Value of Differential Diagnosis

Dalila Costa - Autor Correspondente
Ana Célia Caetano
Carla Rolanda
Raquel Gonçalves

Conteúdo do Artigo Principal

Resumo

As manifestações gastrointestinais de infeções sexualmente transmissíveis podem não ser precocemente reconhecidas. Perante o aumento dos comportamentos sexuais de risco é imperativo o reconhecimento da proctite infeciosa na prática clínica. Os autores descrevem o caso clínico de um homem de 28 anos, homossexual, com infeção pelo vírus de imunodeficiência adquirida (com contagem de células CD4+ normal), que recorreu por múltiplas vezes ao serviço de urgência por quadro de retorragias e fezes com muco purulento, obstipação com tenesmo, aerocolia intensa e emagrecimento, sem melhoria com tratamento sintomático. A retosigmoidoscopia revelou uma proctite ulcerativa severa, com achados inespecíficos na histologia. A pesquisa de DNA do vírus Epstein-Barr e citomegalovírus em biópsia subsequente foi positiva, pelo que iniciou terapêutica dirigida, com melhoria paulatina do quadro clínico e endoscópico. Este caso realça a complexidade do diagnóstico da proctite infeciosa e alerta para a possível coexistência de múltiplos agentes transmitidos sexualmente. 


Recebido: 21/05/2016 - Aceite: 05/06/2016

Palavras-chave: Infeções por VIH; Infeções por Citomegalovírus; Infeções por Vírus Epstein-Barr; Proctite

Detalhes do Artigo

Como Citar
Costa, D., Caetano, A., Rolanda, C., & Gonçalves, R. (2018). Proctite Infeciosa: Valorizar o Diagnóstico Diferencial. Gazeta Médica, 3(3). https://doi.org/10.29315/gm.v3i3.104
Secção
CASOS CLÍNICOS